quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Hoje eu sonhei...

Que eu passeava com meu pai, meu irmão e minha avó paterna numa feirinha hippie. Essas eram as 3 pessoas com quem eu sempre convivia nas minhas férias escolares e minha avó já morreu faz tempo, mas eu não fui em enterro nem nada, sonho com ela como se nada tivesse acontecido.
No sonho, numa das banquinhas eu encontrei uma pulseirinha linda, daquelas que tem diferentes penduricalhos e todos eram muito simpáticos, meigos, colocados tão no lugar certo e com tal bom gosto que eu e minha avó ficamos olhando encantadas. E de repente minha avó acabou comprando pra ela (sendo que eu pensava em comprar pra mim).
Bom, decidimos dar uma volta pelas outras bancas atrás de uma pulseira parecida pra mim, mas nenhuma tinha daquele modelo, até que parei numa banca que só tinha uma enorme, extravagante, circular, que praticamente tomava o braço todo e era 500 reais (sendo que a outra era 5) e meu irmão disse: eu pago, se você quiser. E eu fiquei incerta, porque eu pensaria muito a sério se pagaria os 5 reais, quanto mais 500 por ela.

Bom, eu fiquei pensando numa metáfora perfeita que isso é. Minha avó morreu na hora certa, tudo no lugar certo, perfeitamente, algo que eu gostaria de ter antes pra mim, mas não é assim e na feirinha só tinha uma morte extravagante com um preço muito excessivo pra mim. E acho que é melhor não comprar, mesmo que meu irmão fosse capaz de pagar pra mim... hahaha!
Suicídio é assim pra mim. Às vezes eu tento, mas eu sei, no fundo, que é uma morte grande demais pra mim, muito perturbadora e não é bem ainda o que eu quero.
De fato, eu não sou assim tão feliz, alguns dias são terríveis. E quem me conhece, não quero que tenham dó de mim, eu tento buscar uma ajuda além da morte, mas não dá.
Vocês podem achar que todo mundo tem depressão e que todo mundo passa por isso e que eu sou fraca, o que é bem típico de se pensar, mas só quem convive mesmo comigo sabe como é ruim pra mim. Conheço litros de pessoas que se dizem deprimidas e depois que conheço, vejo ser só uma tristeza normal, exemplo disso é o Eros, que eu quase nunca vejo triste... ou nunca vi realmente triste mesmo, não como eu me sinto. Aliás, todo mundo diz que passa o mesmo, pessoas com quem convivi, mas a verdade é que eu nunca vi ninguém igual a mim de fato.
Quando eu digo e exploro isso de N formas possíveis não quero pena, não quero irritar, não quero atenção. Quero desabafar o que dói em mim, simplesmente, porque é uma coisa que me faz me sentir um pouco melhor.
Eu sei que, como eu disse acima, as pessoas chamam de depressão qualquer momento ruim pelo qual passam e a gente tende a desconfiar e achar frescura o que na verdade é uma doença já reconhecida na Grécia antiga.
Desculpa se é muito pra vocês aguentarem meus desabafos. Acreditem, é bem pior conviver com eles diariamente. Quem me conhece eu uso bastante cinismo e sarcasmo pra tentar conviver com isso, continuar "subvivendo", então eu acho que sou forte o suficiente pra ainda tentar tirar graça daquilo que dói em mim.

5 comentários:

Djuli- Thats what she said disse...

"Quando eu digo e exploro isso de N formas possíveis não quero pena, não quero irritar, não quero atenção. Quero desabafar o que dói em mim, simplesmente, porque é uma coisa que me faz me sentir um pouco melhor."(2)

Se nao fosse pelo sonho seria no post todo!hehehe

Pra mim nunca é muito, pelo contrario: eu escrevia sobre isso no meu blog e as pessoas nao aguentavam ler.

Odeio saber exatamente como é. As diferenças, voce ja sabe...d:-)

Juh disse...

Florr
cm eh bm desabafar,dizer o que sente,o que pensa!
seja no blog,cm uma amigo,cm um irmão.
Desabafar eh sempre bom!!
bjoks

wiLL disse...

quem pede desculpas sou eu. agi como um idiota nos posts anteriores. Nunca deixe de fazer o que esta fazendo agora: Desabafar!

Espero que encontre o que tanto procura.

Queen of Madness disse...

Desabafa Marce, desabafa mesmo, eu sei o que vc sente, muita gente aqui das corolidas te entende perfeitamente...

Mesmo que os babacas achem esses absurdos, continue desabafando, é um direito seu e a gente sabe que não é nada disso que os "felizinhos" pensam...

Não é facil, mas como diria a minha mãe, nem tudo pode ser bom sempre e nem ruim, uma hora tudo acaba...

en porcelain. disse...

Marcely,

Olha, eu reclamo, sou chata, é que sou adepta do tratamento de choque. Poxa, eu realmente não me INCOMODO de ler o seu desabafo, eu só quero que você mude. Meu jeito é chato e eu sei que eu sou só uma parte de uma janela falante que provavelmente não te ajuda nem um pouco, mas eu só quero mostrar pra você que apesar de você ser uma pessoa que mora em um lugar completamente diferente e que eu talvez nunca chegue a ver, eu não quero que você morra.

mil beijos no seu nariz e no da christie.