terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Contos de fada no Período Medieval - Feudalismo

Idade Média – Período que vai do Século V d.C. ao XV d.C. A famosa Idade das trevas. E não é para menos. Idade conhecida pela violência, miséria e fome. Apesar da violência atual, as coisas até que melhoraram em relação a este período, onde era comum se matar uma pessoa que apenas te xingasse. Corpos nas estradas eram comuns.

Feudalismo – modo de organização social baseada na relação servil. Os donos das terras tinham servos que trabalhavam para eles em troca de um pedaço de terra. Com o passar do tempo os servos se tornaram mercadores, vindo a estabelecer a burguesia e derrubando os senhores feudais.

Contos de fada – Variação de conto popular ou fábula. Não conta obrigatoriamente com presença de fadas. Animais falantes e bruxas são muito mais comuns que estas entidades.


Os atuais contos de fada que conhecemos foram moldados de acordo com os interesses da burguesia, sendo reescritos pelos Irmãos Green e diversos outros escritores. Mas no período feudal, os contos eram bem diferentes. Não tinham finais felizes e eram recheados de violência, canibalismo, incesto e estupro. Na verdade não eram contos de fada, mas de horror. Obviamente, por serem contos populares havia alterações nas versões das histórias, mas isso não impedia que o horror fosse um elemento comum nelas.

Exemplos? Chapeuzinho Vermelho.

A mais conhecida versão antiga, mas como não consegui achar nenhuma mais completa, vou contar com minhas palavras o que aconteceu:

Era uma vez uma garotinha que morava com sua mãe. Ela havia ganhado um chapéu vermelho de sua avó, o qual nunca tirava da cabeça, sendo conhecida assim por Chapeuzinho Vermelho. Um dia sua avó adoeceu e sua mãe pediu que levasse comida para ela.

Chapeuzinho Vermelho foi pela floresta onde encontrou o Lobo Mau.

ATENÇÃO – Em algumas das versões antigas, o Lobo Mau era substituído por um lobisomem ou um ogro.

O Lobo perguntou aonde a menina ia e ela respondeu que estava levando comida para sua avó que estava doente. O Lobo Mau correu na frente e, chegando primeira à casa da avó, entrou e matou a velhinha. Após tirar seu sangue e colocar numa garrafa, o Lobo fatiou a carne da avó e pôs numa travessa. Depois vestiu as roupas da velhinha e se deitou na cama a fim de esperar Chapeuzinho Vermelho.

Quando a menina chegou, batei na porta e o Lobo, disfarçando a voz, mandou que entrasse. Ela entrou e o Lobo disse:

- Há carne e vinho sobre a mesa. Coma.

E a menina comeu. Atentem aí para uma passagem onde Chapeuzinho come a carne e bebe o sangue de sua própria avó – canibalismo. Em seguida o Lobo pede que ela tire a roupa e se deite na cama com ele. Ela retira uma peça de roupa e pergunta:

- O que faço com isto?

- Jogue na lareira – Ele responde – Você não vai mais precisar dela.

E se segue as mesmas perguntas e respostas a cada peça de roupa. Quando ela se despe completamente e se deita com ele, ela faz as 3 clássicas perguntas:

- Para que estes olhos tão grandes?

- É para te olhar melhor.

- E para que este nariz tão grande?

- É para te ouvir melhor.

- E para que esta boca tão grande?

- É para te comer melhor!

E comeu. Fim.

Assim mesmo que acaba a história. Após obrigar Chapeuzinho a fazer um streep tease pra ele, ainda come a pobre menina. Outras versões também são bem diferentes das originais, como A Bela Adormecida. Nesta, a Bela espeta o dedo com uma farpa e cai num sono profundo. Todas as noites, o príncipe sobe até a torre e estupra a princesa. Esta engravida e dá a luz a crianças que são comidas pela mulher que a enfeitiçou e mãe do príncipe encantado: uma ogra. Um de seus filhos tenta chegar até o peito, mas mama no dedo da mãe e acaba por retirar a farpa. Em outra versão, o príncipe, ao ver que ela acordou e tem uma “penca de filhos”, decide casar-se com ela (pelo menos isso), mas ao levá-la para o seu reino, sua mãe come as crianças.

Rapunzel, embora não tenha conseguido muitos detalhes sobre a história, revela todas as descobertas da puberdade, mas como é de se esperar, da pior maneira possível. Branca de Neve é uma criança de 7 anos (pedofilia) e a bruxa é sua mãe. Como castigo, a bruxa calça sapatos em brasa, e o príncipe carrega o corpo morto/adormecida da menina para o castelo, que após levar uma surra e receber uma pancada na barriga ela cospe o pedaço de maçã. Isso quando a história tem um final feliz e ela não acaba morrendo mesmo. Pedofilia foi o que aconteceu também com Cinderela, que foge após seu pai tentar estuprá-la e as irmãs malvadas mutilam pedaços dos pés para poderem calçar os sapatos. A Pequena Sereia se suicida no final da história, onde é abandonada pelo príncipe e amaldiçoada com seus novos pés: sente dores como se tivesse pisando em facas.

Mas o que realmente me assustou foi a violência animalesca contida em João e Maria. Nesta versão, a bruxa má e a madrasta que convence o pai a abandonar os filhos na floresta são a mesma pessoa. Leve-se em consideração os perigos das estradas e das florestas da época, é de meter medo em qualquer um. Após serem seqüestrados pela bruxa e atraídos por uma casa feita de doces, eles são presos e torturado. A bruxa usa Maria de escrava e engorda João a fim de comê-lo. A história narra com detalhes a cena em que Maria joga a Bruxa na fogueira, os gritos e as dores que ela sofre enquanto é queimada viva. Por mais que fosse malvada, o conteúdo não é nem um pouco infantil. Em outras versões, ao invés de Bruxa eles usavam um casal de demônios/ogro.

O Flautista de Hamelin – após livrar a cidade de uma infestação de ratos, os habitantes recusam a pagar-lhe a quantia que ele exigiu. Então ele usa sua flauta para seqüestrar as crianças, mas devolve após o pagamento. Versão antiga: Ele não devolve as crianças. Numa caverna, ele comete pedofilia em massa e usa sua flauta para encantar as crianças afogá-las no rio.

A internet ajuda muito nas pesquisas, mas ainda é difícil encontrar as versões antigas dos contos de fadas, tem que vasculhar MUITO. Espero que tenham gostado.

Beijo e queijo. Até próxima terça. Fiquem com Fátima Bernardes.

=)


8 comentários:

Fanta Uva disse...

eu já sabia que essas não eram as versões verdadeiras mas gostei pra caramba do teu post. x]

Angell Candy disse...

Miguel é pura cultura!

Anônimo disse...

Supernatural mode on*

Hannah disse...

na verdade não existem histórias verdadeiras, histórias populares sempre se modificam tem´várias versões medievais da chapeuzinho e histórias como a da bela adormecida, branca de neve e cinderela, existem muitas similares no mundo inteiro,mundam os nomes ,alguns detalhes da história...
essa mudança tbm se deve ao fato da invenção da infancia , adequando esses contos populares

Natz disse...

Sempre achei violento isso de a bruxa querer engordar o João pra depois comer, mas nem se compara à versão original da Bela Adormecida O.O

Miguel de Biaso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miguel de Biaso disse...

Hannah, qdo falo de "história verdadeiras" eu falo das primeiras versões que surgiram, com finais violentos e talz. Mesmo sendo populares, elas tem autores que a deixaram registradas por escrito.

Julia disse...

São irmãos Grimm. Alemães.

Se você procurar em livrarias têm várias edições que são traduções dos contos que eles deixaram escrito.