quarta-feira, 10 de março de 2010

Homofobia

Gosto da palavra homofobia, já pararam pra reparar? Vocês obviamente sabem o que é fobia, mas já pararam pra pensar no Homo? Pois é, todos somos Homos, Homo Sapiens! Não, isso aqui não é um texto sobre gramática.
Quero só que reparem que Homofobia podia ser bem uma forma de dizer que temos fobias aos seres humanos. Sim, isso existe mesmo, alguns tem! Ouviram falar daquela notícia em que os pais de 2 crianças, mataram elas e depois se suicidaram por causa do aquecimento global e porque poucas medidas estão sendo tomadas? Moda que se espalha e sobre a qual já escrevi de que seres humanos são vilões que irão destruir o mundo com cáries? As pessoas pensam que é bonito pensar assim, quando eu acho só um escape que combina com essa frase do Oscar Wilde (um homossexual, por sinal): “Há uma espécie de conforto na auto-condenação. Quando nos condenamos, pensamos que ninguém mais tem o direito de o fazer.”
Mas, voltando ao assunto. Se formos pensar na homofobia, no termo que ela significa de verdade atualmente: fobia de homossexuais. Bom, vou dizer, que ainda não está longe da homofobia que eu falava ali em cima. Se você pensar que homossexuais são homens como qualquer um, apenas com outra orientação sexual, e que não gostar dele é não gostar dos homens...
É, é não gostar dos homens! É não gostar do que há de mais óbvio em todos os seres humanos: as diferenças. Pois apesar de sermos todos a mesma coisa (homens), somos todos diferentes. Tem uma frase no livro do Tolstoi que a Ana Karenina diz que eu acho muito adequada: “Eu acho que, se é verdade que cada cabeça cada sentença, há de haver tantas maneiras de amar quanto os corações”.
Claro que eu devo concordar que nós somos tão diferentes e por isso cheio de tantas preferências próprias que é comum que achemos feio, chato, ruim o que os outros acham de diferente da gente (o que resulta em homofobia e n outros preconceitos que todos temos em maior ou menos grau).
Eu mesma já escrevi textos sobre wayfarer, sobre unha francesinha, sobre n coisas que eu não gosto e brincando (sim, era uma brincadeira!) sobre como todos deviam deixar de fazer isso. Me irrita muito a moral de manada, mas eu jamais trataria mal, de verdade, ou teria nojo, ou presumiria que a pessoa não vale a pena, porque ela usa francesinha ou óculos wayfarer. Porque parto do princípio que essa pessoa tem seus motivos e mesmo que pense igual em certas coisas, pensa diferente em outras coisas e isso faz dela alguém interessante de se conviver: porque a diferença é um aprendizado gostoso. Quando você nasce e aprende a ler, você aprende algo “diferente” do que sabia até então. Portanto, lidar com coisas diferentes é aprender.
Voltando pra homofobia. Eu estou horrorizada (é, horrorizada) com o fato de uma multidão estar a favor de um cara (num programa que eu não assisto, é verdade) que é homofóbico. Uns chegam a defender e dizer que não é homofobia, é o jeitinho dele e mil desculpas esfarrapadas. Quer saber se é preconceito? É só trocar o objeto homossexuais por negros, por exemplo, fica mais fácil porque hoje em dia, ao contrário de homofobia, racismo não é (pelo menos abertamente) aceitável. Se alguém fala: “meu médico me contou que se um homem branco transar com uma mulher branca não pega aids, mesmo que algum deles tenha aids. Só se pega aids se for sexo inter-racial.”, isso não soa racista? Ou ainda, digamos que eu estou conversando com uma amiga que fui numa balada negra e que vi vários negros se beijando e uma outra pessoa ouvindo nossa conversa se levantasse da mesa, jogasse comida fora falando que estava enojada... Bom, alguma dúvida se isso é racismo?
Já li textos que é completamente normal não gostar de gays, ninguém é obrigado. Certo, e ninguém é obrigado a tolerar os negros, né?
Já li também no mesmo texto que falar de homofobia atualmente é desnecessário porque os homossexuais estão mais do que aceitos na nossa sociedade (claro, e unicórnios também existem!). Sendo que os fatos demonstram coisas assim: "Com um homossexual assassinado a cada dois dias, o Brasil passou a ser considerado o país mais homofóbico do mundo."
E pra terminar, não venham me dizer que é coisa de cristão não aceitar gays. Antes de tudo, Jesus Cristo ensinou a amar e a tolerar a todos. Sempre e em primeiro lugar deve vir a compreensão, o amor e a piedade. ISSO é que Jesus pregou e é ISSO que os cristãos deviam seguir em primeiro lugar. Se na bíblia diz que homossexualidade é impura, na bíblia também fala de fornicação e outras mil regras que você acaba não seguindo. Tem coisas sobre corte de cabelo, vestuário e outras mil leis e costumes daquela época. E se deus é imenso em piedade ele vai te perdoar e você como filho dele também devia fazer o mesmo.

2 comentários:

Miguel de Biaso disse...

Homossexuais estão mais que aceitos na sociedade? E por que eu tenho medo de andar na minha rua? Já atiraram até pedra em mim e eu não pude fazer nada porque eram mais de 5 (e porque erraram). O texto tá ótimo Marce. Parabéns. Depois ainda diz que não posta nada de utilidade pública... haha, esse é um dos mais úteis no blog na minha opiniao XD

Nik Coelho disse...

e pensar que eu convivo com um homofóbico e não posso fazer nada a respeito =(
eu não tenho nada contra gays, até tenho amigos gays (homens e mulheres), tem uns que eu acho até fofinhos XD
mas o brasil ser o país mais homofóbico é realmente ridiculo e digno de pena..