quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Livros, leitores e imagens

Que ideia você faz do que é um leitor, do que é um livro? Desenhe no paint, reflita, depois volte aqui.
Eu recém-li o livro Como um romance do Pennac e isso começou a me preocupar com muita frequência. Porque a imagem que envolve os livros não é nem um pouco positiva e isso é em boa parte o motivo das pessoas não lerem, já pensou nisso? Pois veja a imagem a seguir:



Essa é a imagem que as pessoas, geralmente, têm dos livros e dos leitores. Ler torna as pessoas afetadas, sérias, sem nenhuma sensualidade ou bom-humor de verdade. Meu ex-namorado chegou a ficar surpreso quando descobriu que eu, a menina que escrevia o Filosofia Crônica dava e gostava de dar.
O senso-comum (o meu adorado, -not, senso comum) diz que 1- ler causa ressecamento vaginal. E que ler é coisas pra pessoas não-humanas, superiores, mas não humanas.
Acho que muito desse conceito vem de um tempo em que a moral e os bons-costumes ditavam as regras e que os ricos deviam ser bem educados e ter grandes bibliotecas enquanto a massa pobre era só sexo, drogas e muito trabalho nas minas. E os pobres não tinham moral, nem bons costumes como os imponentes ricos. É quase uma distinção entre funk e música clássica. Um é sexo hot hot e o outro... enlevação, coisas sublimes (como se sexo não pudesse ser sublime também – mas é, não naquela época).
Mas, quero dizer... quem disse que música clássica é só sublime e superior? Ou melhor, que os livros são só superiores, não falam da gente nem da nossa vida, quer dizer, não fazem parte da nossa vida?
Quem foi que disse que livros são chatos? Eu (Pennac primeiro) respondo: nossos educadores (pais e professores). Quando falavam pra gente ler, dificilmente era algo como: lê esse livro, é mó legal! Como falariam de uma novela, de um filme, seja o que for. Não, eles sempre falam: livros são superiores, te dão super-poderes, você é OBRIGADO a ler isso porque isso é muito bom pra você (bom no sentido educativo, quase sempre). Se você achar difícil é porque o livro é superior à você e você não é feito pros livros. Motivo pelo qual todo leitor morre na praia porque quando é que no começo das nossas leituras nós conseguimos entender tudo o que está escrito? Nunca! Acredite, nem eu nem ninguém entende tudo 100% na primeira folheada. Não porque livros são mais difíceis, mas porque escrita é código e ao ler nós decodificamos. Não é como ver uma imagem, imagem não tem códigos, imagem é como a vida. Mas leitura exige interpretar um código pra depois entender a imagem. Exige concentração e costume. E, claro, a gente lê o tempo todo, mesmo assim. Quem deixou de usar MSN porque as pessoas escreviam em vez de falar e ler é muito difícil? Ninguém! Quando a gente acostuma a ler e escrever, ambas as coisas ficam fáceis e é isso mesmo nos casos dos livros: ler é uma questão de costume.
Eu não sou superior a ninguém porque gosto de ler, mas tive, primeiramente, a sorte de ter tido um contato mais positivo com o livro que me permitiu me acostumar e me deu o hábito. Ser leitor é quase uma loteria, é preciso ter sorte pra ter um contato positivo com os livros, na maioria das vezes as pessoas não têm essa sorte. O que explica o fato dos leitores reforçarem tanto essa ideia de que leitura é coisa de gente superior. Óbvio que pra eles essa imagem é ótima! Mas é uma questão de sorte, como nascer na cidade grande e ter muito dinheiro ou no sertão do Ceará sem comida. É, simplesmente, uma questão de sorte! Mas da mesma forma, os ricos vão dar a entender que têm essa boa vida porque são superiores aos pobres, não porque tiveram sorte.
E continuando na mesma comparação, eu digo: o que você prefere, ser rico ou ser pobre? Pois é, um leitor, da mesma forma que um rico em relação a um pobre, tem acesso a algumas coisas que um não-leitor não tem. Mas esse não é o motivo pelo qual nos tornamos leitores. Como eu disse ali em cima, não é porque os livros são educativos que lemos (pelo contrário, quando eles se apresentam como educativos é que NÃO lemos!), a gente leu porque teve sorte e gostou, porque ele surgiu na nossa vida relacionado com o gosto e não com a obrigação.
Sabe como eu aprendi a ler? Porque minha mãe contava lindas histórias de príncipes e princesas que usavam lindos vestidos vitorianos. Eu adorava! E depois, achamos na nossa biblioteca livros dessa mesma época e que também contavam histórias de amor! Oras, acha que eu não fiquei doida pra ler? E eram livros nada fáceis pra uma criança. Sabe Dostoievski, Machado de Assis, Shakespeare? Eu li na 5ª série. Mas li porque o “assunto” era do meu gosto, não porque disseram que se eu não lesse eu era uma idiota e era OBRIGADA a ler (se assim fosse eu odiaria, com certeza!). Eu li e amei, mesmo não entendendo boa parte da história. Eu pulava partes, eu ficava confusa em outras, mas não me envergonhava disso, pulava o que não entendia, partia pra parte mais legal, só isso. Claro, dado a temática e ingenuidade, eu adorava José de Alencar muito mais que Machado.
Sabe quando eu quase parei de ler? Depois da faculdade de Letras. Depois que eu vi que os livros eram mágicos, lindos, perfeitos, difíceis e superiores. Acabou a graça, o hobbie, surgiu a obrigação. Obrigação é lavar a louça, não se divertir! LIVROS SÃO DIVERTIDOS. Falta as pessoas frisarem isso!
Livros são divertidos. Assim como a novela, o desenho animado, os filmes. É uma linguagem diferente, por isso é uma experiência diferente de todas essas outras. É como ouvir música, dá pra comparar ouvir música com outra coisa? Dançar com outra coisa? Não dá.
Livros você pode ler no consultório do dentista, você pode ler no ônibus, na privada. Eles te empolgam, você para e começa onde preferir, quando preferir. Eu estou lendo Jane Austen que me fez lembrar o quanto adoro romances, roupas enormes, emperequetadas e histórias de amor antiga. Mas você pode preferir outra coisa, tem aí um Bukowski que é tão romântico quanto um mendigo morando no bueiro e é super divertido. Faz você aprender mais sobre você, sobre o mundo. Faz você sair do seu umbiguinho aprendendo mais sobre ele. Mas não é pra aprender que a gente lê. É a conseqüência – um resultado muito, enormemente positivo que infelizmente a maioria dos filmes, novelas, músicas não dá. Não to dizendo aqui pra não assistir novela ou filme clichê. Clichês tem lá o seu lado divertido. Tem livros assim e eu aprendi com eles, se não tivesse acesso TAMBÉM a essas coisas eu seria metade tapada do mesmo jeito. Tem gente tão rebuscada na sua “inteligência” que fica metade tapada (pessoas essas que geralmente a gente chama de intelectuais que leem os livros, pessoas da foto lá de cima – o que é uma imagem deturpada, vou te dizer, como dizer que todo gay é travesti).
A mensagem que eu quero passar para os que não leem e gostariam de ler é: leiam, vocês não sabem o que estão perdendo, leiam o que gostam, mas não se obriguem, se divirtam.
Próximo post eu falo sobre os “Direitos do leitor” que o Pennac escreveu. Acho bem válido.

11 comentários:

Sweet Patty disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sweet Patty disse...

Adorei o post!
Até discordo do seguinte: "imagem não tem códigos" Às vezes até tem ^^
E leitura é costume mesmo.
Conheço muitas amigas que odeiam leitura. Aí pergunto: seus pais leram pra vc? seu pai te deu algum livro de presente?

Meu pai sempre me deu livros de presente. Até hoje e adoro isso. Meu pai foi uma pessoa muito importante pra mim. Se não fosse pela influência dele eu acho que ia odiar ler. Ainda bem que adoro.

Quando era menor, meu pai lia estórias pra mim, assim como aconteceu com vc. Comecei a ler os livros quando meu pai não podia mais ler por causa do trabalho, e outra, eu não conseguia dormir antes de ler alguma coisa, e passava horas e horas. Até que minha mãe dizia: Filhinha, pare de ler e vá dormir, tá tarde.
Lia livros como Branca de Neve, mas eram aqueles livros grandes, não os que vende hoje na livraria que tem umas 20 páginas.

Adorei o post, me identifiquei pra caramba. Parabéns :)

Angell Candy disse...

Boto um Doizão bem grande em quase tudo. Exceto a parte em que contavam historinhas e me davam livros.
Comecei a gostar de ler, lendo. Ninguém nunca me deu um livro na minha infância, nem me levavam na biblioteca, mesmo que eu chorasse horas por ter ganho um ursinho e não um livro no natal... passava horas lendo os textos dos livros da escola, deixava de fazer a tarefinha de casa pra ficar lendo. Meu pai jurava que fazia mal, que eu ia ficar louca pq lia demais, que eu tinha q parar de ler e ir fazer coisas de criança que nem meus priminhos... Que bom q nunca dei ouvidos!

Djuli disse...

Sou leitora compusilva por cronicas e roteiros.
Sim, roteiros, desses de teatro e cinema. Saiu o filme? Vou na Cultura e cato o livro!
Tem de series tambem, desde "Entenda Dr House" ate "Compulsao por compras de Sex and the City!".

Pode ser a bobagem que for, sao livros do mesmo jeito!

Mas ate mesmo eu (com formaçao de Letras) admito que alguns livros sao chatos.
Graciliano Ramos e Jose Saramagos me fazem ter ódio de livros, nunca consegui terminar.

É questao de estilo. Leio cronicas numa sentada, comprei "Comedias da Vida privada" e tem sei lá quantas centenas de paginas...Virei a madrugada pra terminar. Quem ja leu Harry Potter, Senhor dos Aneis, Sherlock Holmes e similares sabe como é isso.
Voce fica tao entretido que esquece de comer.

Ninguem disse que pra ser leitor preciso necessariamente gostar de parnasianismo ou naturalismo portugues. Conhecer um ou outro é importante ate pra ter senso critico, mas ninguem precisa viver assim.
E nao, ler nao é facil.
*Ate explicaria, mas rende um post!hahahahaha

Minha gente, HQ tambem é Literatura!
Se nao ta afim de encarar um livro, comece espiando Turma da Monica, Mafalda, DC Comics, Marvel...Tem tanta coisa bacana! O Universo em Quadrinhos é um absurdo, tem desde Almanaques ate tiras de jornal, coisas lindas e super bem escritas!

Literatura nao precisa ser pegar um livro e ficar sentado no sofá.
Esse tempo já se foi.

E qualquer um que hoje vá na Livraria Cultura sabe do que estou falando...Aquele lugar vive lotado, dificilmente se acha lugar pra sentar. E que mais tem? Livros! ^^

maximumforma disse...

Meu seu blog é espetacular, show, not°10 desejo muito sucesso em sua caminhada er objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família
Um grande abraço e tudo de bom
Ass:Rodrigo

KINHA disse...

Olá

Você tem um belo blog,com posts inteligentes e belas imagens,adorei.
Espero sua visita e se por acaso quiseres me seguir, ficarei muito feliz e te seguirei também.

http://amigadamoda.blogspot.com

Juh disse...

Florrr
eu simplesmente adoorrroo ler
eh um hábito desde pequena,sempre gostei e non consigo ficar sem ler algum livro
adorei o post
bjoks

Marcely disse...

Concordo com a Dju, HQ também é literatura, e não é nem um pouco menor por isso. Turma da Mônica: leio até hoje!

Agora, desculpem esse post estar postado fora do meu dia, na verdade, olhem a data: quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Paranormal!

Ana Paula disse...

eu coloco um [2] em tdo sim ^^
qndo eu era criança não via a hora de aprender a ler p/ poder entender sozinha um livro gigaaaaaante de contos d fada e tbm os gibis da turma da monica.Então p/ mim a coisa foi bem natural.
Fico me imaginando se só tivesse começar a ler pela escola,com ctz ia detestar,pq a maioria dos livros q fazem a gente ler,são mtoooo chatos,faz total parecer q quem gosta de ler é um ser fora do comum =P

Hannah disse...

minha familia tbm foi importante pelo meu gosto por leitura,meu pai gosta muito de ler e minha ma~e tbm...desde de bebê eles queria me ver quieta me davam livros ,meu pai smepre me dar livros de presente,minha mãe tbm,e sempre conversamos sobre livros e indicamos um pro outro...
amo ler todo dia antes de dormir eu leio...
eu tneho um amigo que espantou tbm com os livros que já li e a quantidade...

Valeska disse...

Eu aprendi a ler (e a gostar de ler) com a Turma da Mônica! Tanto que até ano passado eu tinha assinatura... XD

Ler é bom demais, eu lia muito memso na minha infância... Na escola meus amigos de recreio eram os livros... ^^

HJ eu admito que não leio quase nada, perto do que lia antes, mas não perdi o gosto... ^^