quarta-feira, 8 de abril de 2009

Padrões, tendências X Personalidade.

Como esse blog é de integrantes de cabelos coloridos creio que cabe muito bem aqui uma crítica contra os padrões de beleza. Sim, eu detesto padrões de tudo quanto é tipo, principalmente os de beleza. Ainda bem a gente vive numa época que – pelo menos em teoria – defende e respeita a diversidade. Aos poucos as pessoas têm compreendido que as diferenças não são um mal, e sim uma das melhores coisas do nosso mundo. Bom, eu não sei vocês, mas eu adoooro ter milhares de opções, ou ver coisas diferentes por aí. Infelizmente, essa mudança de paradigma é recente e ainda é cheia de defeitinhos, por isso os setores mais tradicionais da sociedade não conseguiram atingir ainda essa mentalidade. É por isso também que muitos de nós temos dificuldade em conseguir emprego, em conseguir autorização dos pais pra pintar um cabelo ou ainda somos zombados na rua. O que é bobeira e em outros países já nem acontece!
Minha mãe disse que conversou com uma psicóloga que disse a ela que isso de eu pintar meu cabelo de cores diferentes é "apenas uma fase"... como se fosse só uma vontade adolescente de chocar e testar os padrões e não também uma opção e um gosto! Se formos pensar, qual a diferença de se pintar o cabelo de um vermelho rubi (nunca vi ruivo de cabelo rubi!) e de um vermelho fogo mais vivo? A cor. Mas o procedimento todo é o mesmo, no final é só uma tinta, um cosmético no cabelo e mais nada. Tão simples! Mas é tão difícil pra alguns enxergarem o óbvio através de uma teia de preconceitos e bobeiras encucadas.
O que eu queria dizer mesmo nesse post não é nem isso. O que eu não gosto mesmo, acho muito de mal gosto é gente sem estilo nenhum. Não estou falando do estilo "facção de moda", já que muitas vezes isso é o que eu chamo de falta de estilo... pelo menos próprio. E o pior é que são justo essas pessoas que te olham de lado, com algum desdém!
Ta, é só roupa, cosméticos, aparência... Mas isso, ao meu ver, diz muito sobre as escolhas e a personalidade da pessoa sim. É por isso que eu acho que aderir a uma facção de moda é o mesmo que aderir a uma linha de pensamento só. Como se todas as pessoas góticas fossem iguais e não são! Ou se todos os vegetarianos tivessem todas as características iguais. Não é assim! Claro que a gente tende a querer se unir, ter um grupo, ser compreendido. Mas isso não quer dizer abrir mão da nossa própria individualidade! Então eu posso ser vegetariana, não comer carne, mas isso não me faz idêntica a todos os vegetarianos (eu nem sou vegetariana, é só um exemplo). As facções de estilo são mais ou menos assim: todo gótico deve ouvir um tipo de som, usar um tipo de roupa, agir de determinado modo. Isso que eu acho exagero! Nada contra góticos, eu posso muito bem usar acessórios e roupas góticos – eu acho algumas coisas muito bonitas –, mas deixar me levar por toda uma cartilha de comportamento é abrir mão da própria individualidade só pra ser aceito dentro de um grupo. Isso é triste!
Mas isso acontece e acontece em massa. Não são só os góticos, os indies, os emos, os hippies. A maioria das pessoas acaba cedendo pra ser aceito. O que mais se vê são as dondocas sem estilo algum – nem próprio, nem de uma facção específica. Aqui em Curitiba é muuuuuuuuito comum, chega a dar nos nervos! Todas as amigas pintaram o cabelo de castanho com luzes loiras? Parece catapora, todas fazem o mesmo. Saiu na revista Caras a Angélica vestindo bata? Tooodas vestem bata. Não é nada contra bata nem contra luzes, mas chega a me dar nos nervos ver a combinação: calça jeans por dentro da bota plataforma, blusinha, cinto largo, cabelo com luzes loiras e argola grande. Pra mim isso só diz uma coisa: "personalidade? O que é isso? Estou ocupada demais pra pensar nisso!". E essas pessoas são as mais confiantes, porque recebem o aval de toda um gado como elas. E se você passa na rua com a roupa colorida, um óculos fora de moda e um cabelo diferente, você é quase chacota. É, você que se conhece, conhece seus gostos e os respeita! Ou gente que veste uma roupa só pra mostrar o nível social? Pois é, roupa serve pra transmitir algo!
Eu não estou falando aqui pra todo mundo usar roupa diferente, cabelo diferente, fazer algo completamente original... não existe essa coisa de completamente original, eu sei. Mas eu adoro e reconheço pessoas com personalidade própria. Vejo isso em uma correntinha dourada que parece de infância – isso me faz tão feliz, sério, fico tentando adivinhar como é a pessoa em casa, como será ela, só de ver suas particularidades exteriores. Uma das coisas que mais me causou transporte uma vez foi ver no mercadinho da esquina uma japonesa com calça de moleton rosa, uma blusa qualquer e chinelo. Puxa, eu não sei explicar, mas a calça reta de moleton rosa pareceu uma coisa muito particular daquela menina.
Então, é isso. Eu acho mais é que as pessoas não devem abrir mão dos seus gostos por causa de uma tendência. Eu não entendo as tendências, sério mesmo, eu chego a abominá-las. Agora tudo está muito bom, aparece vez ou outra coisas que eu gosto, como a tendência de xadrez e de meias fio 40 coloridas. Mas tem vezes, como há não muito tempo, que eu fui na Marisa comprar meia fio 40 e achei só preta e marrom, como se fosse um mandato divino que todas as mulheres só deviam vestir aquelas cores. Fui comprar óculos e pra achar um com formato levemente arredondado foi quase um parto, e a vendedora ainda ficou com cara de pasma por eu querer levar o arredondado! Poxa, gente, eu tenho gostos independente de que tendência é agora... armação de óculos, além do mais, eu nem troco a cada estação! Eu acho que as lojas deviam existir por características: uma só de bolinhas, uma só de quadradinhos, uma com roupas retrô, outras com roupa modernas, uma com babados perua, outras com jeito esportivo, outras ainda com roupas de boneca, outras com roupas escuras e mais sérias. Porque cada pessoa é de um jeito, e não mudam de jeito a cada estação! E não é porque na novela ta tudo indiano que eu não posso gostar de coisas japonesas! Fora que se houvesse mais variedade, mais as pessoas se conheceriam, se sentiriam autênticas. É uma coisa fútil, mas eu me sinto TÃO melhor com cabelos coloridos do que eu me sentia antes... Eu era tímida, insegura, com medo de as pessoas me acharem careta ou burra. Agora eu sinto que as pessoas vão me olhar e já irão ter uma pista de como eu sou, do que eu gosto. É como sua casa, você decora ela de um jeito só seu, as pessoas vão e já sabem que sua casa tem um cheiro e um jeito específico. Isso é tão bom, poxa! Mas é tão melhor pras indústrias de moda fazerem, como eu já vi que fazem, "ah, está sobrando tal tipo de tecido na minha fábrica" e outro concluir "então a próxima tendência será esse tecido"... e todos nós achamos isso tão legal!
Enfim, pra concluir, eu sei que é difícil ter as coisas do seu jeito, mas não hesite em tentar. Eu também não tenho dinheiro pra muita coisa, há muito tempo atrás eu não pintava o cabelo e ganhava roupas usadas – ou seja, que não eram opções minhas. Eu me sentia algo que não era. Mas sempre dá pra dar um jeitinho, comprar parcelado, pintar com canetinha e acetona... brinks! Pra mim, a pessoa mais feia vestida com estilo própria fica muito charmosinha e a pessoa mais bonita vestida igual a amiga ou porque viu na revista é a mais sem graça possível. Eu não suporto gente que fala: "ah, mas é gostosa, isso que importa"... isso sim é futilidade, não vê que ali não tem nada além de genes bem combinados? Gente sem personalidade, nem inteligente pra mim vale a pena.
Fim. (até que enfim!)

7 comentários:

marie disse...

tudo que vc escreveu, eu tbm penso/acredito/vivo - só colocaria em palavras diferentes, ou em um texto de estilo diferente.. mas a essência é essa aí. adorei.

Blueberry disse...

1 comentários
Sim, comentei meu próprio post por causa disso... e pra mandar um sorrisinho pra marie:
=D
desculpa pelo post gigante, pessoal, eu não sei me resumir u.u

DoceQueNemBatataDoce disse...

cara... eu sempre acho que vale a pena ler textos grandes :)

Rafael disse...

Marcely vc é foda ! Vc devia ser escritora.

Queen of Madness disse...

Concordo plenamente Ma....

Esses estereótipos são uma desgraça...

jujuba* disse...

*palmas, muitas palmas!!!*

Lua*~ disse...

Nossa... vc disse tudo!!!
Sabe q me encontro nessa luta tbm...? Nossa... como pode???
Eu tbm fiquei uns 5, 6 anos só ganhando roupas usadas das pessoas, ou ganhando roupas q naum têm nada a ver com o meu estilo... sabe? Ainda tou montando meu guarda roupa, como realmente quero... tbm naum sou adepta a modinhas... nossa é mto pior mesmo seguir modinhas... é cruel... parece gado mesmo... ou algo do tipo... xP
Agora tou doida pra mudar cabelo, roupa... enfim... expor a pessoa q realmente sou... Exige grana extra? Sim ahco q sim... mas devagar chegamos lá...!
Tbm fico no dilema, se isso é fútil ou não... mas sabe, tenho uma necessidade gritante dentro de mim... preciso ser eu, preciso encontrar o "eu" aqui... já, na verdade pra ontem!
Amei o post!